Páginas

17 de abril de 2018

Cartaz alusivo à evocação de Abril de 1974


Aproxima-se a evocação e celebração do 25 de Abril de 1974, esse "dia inicial inteiro e limpo / onde emergimos da noite e do silêncio" (nas luminosas palavras de Sophia de Mello Breyner Andresen).
Há mais de uma década que, ano após ano, também revisitamos por cá (BESAF) esse marco incontornável da história recente de Portugal. Revisitamos lembrando-o com a as palavras, a poesia, as canções, a música e também os cartazes. Eis o deste ano.
Na linha de anteriores cartazes, e já lá vão vários, da autoria de amigos colaboradores da biblioteca E.S. Alcaides de Faria, é novamente com gosto e gratidão que aqui partilhamos o cartaz de 2018. Desta feita, a ilustração, da autoria da professora Maria José Oliveira, amiga e colaboradora da biblioteca da ESAF, convoca iconografia ligada à revolução de Abril, desde logo o cravo, mas também o voo das aves, por contraponto às grades que amordaçam, como que signos aludindo à conquista da liberdade e da expressão sem amarras.

21 de março de 2018

Dia da Poesia

Um poemário à tua espera!
Passa por cá, toma um poema, lê-o ou, se quiseres, di-lo.
Deixa que as palavras te tomem de outro modo, se entranhem e, por um instante que seja, te estremeçam ou enlevem!
------------
Por agora, António Ramos Rosa no poema:

A palavra

"A palavra é uma estátua submersa,um leopardo
que estremece em escuros bosques,uma anémona
sobre uma cabeleira.Por vezes é uma estrela
que projecta a sua sombra sobre um torso.
Ei-la sem destino no clamor da noite,
cega e nua,mas vibrante de desejo
como uma magnólia molhada. Rápida é a boca
que apenas aflora os raios de uma outra luz.
Toco-lhe os subtis tornozelos,os cabelos ardentes
e vejo uma água límpida numa concha marinha.
É sempre um corpo amante e fugidio
que canta num mar musical o sangue das vogais."
                                                                                                             [Acordes, 1989]


14 de março de 2018

Concurso de Fotografia - BESAF Foto [11.ª ed.]

[cartaz: Zeca Oliveira]
Com particular interesse para os alunos da ES Alcaides de Faria, aí está mais um desafio: captar a luz dos livros, dos leitores, do ato de ler... e o que à imaginação criativa se lhe aprouver, desde que gravite em torno do tema do Concurso de Fotografia BESAF Foto - 11.ª edição, que a biblioteca da ESAF promove há mais de uma década e que persiste, pois têm sido muitas as agradáveis surpresas saídas das câmaras e da criatividade dos nossos alunos.
O tema deste ano é: Livros, Leitura e Leitores… A data limite para entrega das fotos (até 2) vai até 18 de abril de 2018, via e-mail da biblioteca da ESAF ou em mão (no balcão de atendimento).
Mais uma vez contamos com a participação dos alunos (3.ª Ciclo e Ens. Secundário), mas também com a colaboração dos docentes da escola por via do incentivo motivacional.
Vamos a isto? Parte, de olhos bem abertos, em busca de bons motivos.
Consulta o regulamento:
 

6 de março de 2018

Oficina de escrita

Esta tarde, na BESAF, oficina de escrita: "cansar o corpo, libertar a mente", dinamizada pelo jornalista e autor Alberto Serra, com alunos da área de Artes. Grupo pequeno, informalidade no ar, ambiente intimista, dinâmicas de escrita e exercícios de criatividade a convocar a imaginação.
Uma sessão diferente, sempre em ponte com as dimensões da lecto-escrita.


A leitura alimenta!


"Vou de comboio...
Vou
Mecanizado e duro como sou
Neste dia;
- E mesmo assim tu vens, tu me visitas !
Tu ranges nestes ferros e palpitas
Dentro de mim, Poesia!"

Onde encontrar este princípio, em que poema, em que ode...
onde encontrá-lo? - pergunta-se o leitor.
Curioso(a)? Nada como perguntar na biblioteca. O caminho até ao livro passa por lá. Vem e descobre.
É belíssimo aquele poema e conhecido o seu autor, que tão bem tratou a língua portuguesa.
[A imagem: uma das bases de tabuleiro que hoje circularam pela cantina. O grafismo: da prof.ª Maria J. Oliveira, que connosco colabora]

Conferência: 100 anos de eletricidade em Barcelos


De tão simples, o mais trivial dos gestos - quem não acende uma lâmpada: click e faz-se luz! - perpassou, de certo modo, na palestra que esta manhã assistimos na sala de leitura da biblioteca da ESAF. Uma sessão de literacia histórico-patrimonial para se falar de uma efeméride que, nesta cidade, cumpre um século. Há 100 anos chegava ao fim toda uma época de candeeiros públicos alumiados a petróleo e, outrora, outros combustíveis; cessava a função do último lampinista e começava o tempo da eletricidade, dos candeeiros elétricos, da corrente que haveria de chegar, mais tarde, às casas.
Para nos contar o dealbar da eletrificação da cidade (vila na época), do aparecimento das primeiras companhias hidroelétricas e da sua operacionalidade na região, dos homens que dinamizaram esses impulsos, tivemos por cá Vítor Pinho, bibliotecário municipal, historiador local, escritor e jornalista. Gratos!


5 de março de 2018

A leitura alimenta! uma das nossas iniciativas da Semana da Leitura 2018

Na fila do refeitório, enquanto se prepara para receber a refeição, um aluno dá-se conta, na base sobre o tabuleiro onde repousam os seus talheres, de que um certo Gregor Samsa, numa "certa manhã, ao acordar após sonhos agitados, se vê, na sua cama, metamorfoseado num monstruoso inseto". Mais à frente, uma aluna, lê com atenção uma outra frase e quiçá se interrogue (ou não): de onde vem aquilo?
- "Fala-me, Musa, do homem astuto que tanto vagueou, depois que de Tróia destruiu a cidadela sagrada."
Assim foi hoje ao almoço, na cantina da escola, nacos de prosa e poesia, sobre folhas volantes, onde repousará o pão, a fruta, a água, a refeição... breves excertos de obras literárias, como que a suscitarem a curiosidade e a aguçarem o engenho para uma ida à biblioteca, em busca, quem sabe, de quem escreveu tal coisa.
A leitura alimenta!
Eis um pouco da Semana da Leitura na ESAF.

1 de março de 2018

O caso do Banco do Minho - apresentação de livro

Já lá vão alguns dias, mas é sempre altura de fazer eco. 
Assim, a dezasseis de fevereiro, sexta-feira, pela manhã, na sala de leitura da biblioteca da ESAF, viajamos no tempo! Da segunda metade do século XIX a princípios dos anos trinta do séc.XX. 
A finalidade de tal viagem: a história de um banco, o Banco do Minho, criado e com sede na cidade de Braga, a quem foi concedido, por Carta Régia (Rei Dom Luís, 15/06/1864), "poder emitir letras à ordem ou notas pagáveis ao portador e à vista segundo as leis que regulam o custo da moeda", entre demais atribuições de uma instituição bancária. A história de um banco e daqueles que a ele estiveram ligados durante sete décadas, que viria a ter um fim dramático em 1931. Esta incursão no mundo das finanças, da história e da vida das pessoas ligadas a um banco que chegou a ser de grande nomeada em termos nacionais e internacionais, esteve a cargo de um escritor bracarense, de nome Francisco Vieira da Silva, que à sala de leitura da biblioteca da ES Alcaides de Faria se deslocou para vir falar, perante uma plateia de alunos e professores das áreas de Contabilidade e Economia, da longa trama e enredo do seu romance (de incontornável cunho histórico) "Estamos Pobres! O grito de silêncio de Braga em 1930" (Chiado Editora, 2013).
Por via da narrativa ficcionada, mas assente em aturada pesquisa e substancial realidade histórica confirmada, Francisco Vieira da Silva traçou um quadro abrangente sobre a história do Banco do Minho, tendo mesmo abordado, na sua explanação, o também antigo "Banco de Barcellos". Sim, um banco que também a nossa cidade conheceu e que, porventura, alguns barcelenses desconhecem. 
Ligar, por via do registo literário, a História, as Finanças, a vida de personalidades e gentes de toda uma região, foi o modo de dar a conhecer uma realidade que para os alunos presentes na sala (três turmas) importou, desde logo, pela temática abordada, mas também pela paleta da literatura. Quanto nas páginas de um romance pode repousar em histórias que o tempo não apaga e que não deixam de constituir alertas para as ações de hoje.
A biblioteca da ESAF, espaço de literacias, recebeu pois com agrado o autor e grata fica aos alunos da turma 12P1 - Técnicos de Contabilidade que, com a professora Julieta Flores, dinamizaram esta iniciativa.

15 de fevereiro de 2018

Do Amor... hoje na biblioteca

Do amor...
esta manhã, na sala de leitura da biblioteca da ESAF, poesia (as palavras dos poetas sobre o amor), cartas de amor (missivas de Fernando Pessoa a Ophélia), a ciência do amor (hormonas, feromonas e afins na bioquímica da atração), música, leituras... por alunos e professores, num momento de evocação do amor, da amizade, dos afectos... da riqueza literária que o amor convoca.
Belo momento de leituras inclusivas!
[Gratos a todos os aluno(a)s e professores que tão empenhadamente se envolveram nesta iniciativa.]

13 de fevereiro de 2018

Tertúlia na biblioteca: O caso do Banco do Minho - apresentação de livro

Na próxima sexta-feira (16.fev), pelas 10h05, na sala de leitura da biblioteca da ESAF, apresentação do livro: "Estamos pobres!" ( O caso do Banco do Minho), da autoria de Francisco Vieira da Silva.
[Abordar-se-á também um pouco da história do antigo "Banco de Barcellos"]
"Francisco Vieira da Silva nasceu e cresceu em Braga e desde cedo, por influência do pai, cultiva o gosto pela história de Braga e da Região. A vida profissional dedicada à contabilidade, ao que se aliou o gosto pela leitura e escrita, consubstanciou-se na publicação da primeira obra, em 2013: "Estamos pobres! O grito de silêncio de Braga em 1930" onde se retrata com rigor a história do Banco do Minho. A instituição bancária que foi uma referência nacional e que o decreto nº 19.583 de 13 de Abril de 1931 dissolveu, dando satisfação à engenharia financeira colocada ao serviço do poder de Salazar e transformando seis décadas de riqueza em miséria."
No dia 16 de fevereiro, pelas 10:05h, teremos oportunidade de conhecer o autor e a sua obra numa iniciativa dinamizada pelo alunos da turma 12P1 - Técnicos de Contabilidade.

Sejam bem vindos a esta tertúlia.

Na onda do amor, da amizade, dos afectos...

Na próxima 5.ª feira (15/02) >> sessão de leituras, música, representação da temática do amor (o que nos diz a literatura e a ciência?)

[gravura de fundo de Georg Schrimpf, pormenor de "Martha, lendo uma carta"]

Mais ecos da Semana da Internet Segura

Durante a Semana da Internet Segura, a biblioteca recebeu, na sala de leitura, uma interessante exposição de artefactos electrónicos de programação e robótica, oriunda do Clube de Programação e Robótica da Escola Sec. Alcaides de Faria, clube sob supervisão do professor de Informática, Rui Figueiredo. Durante aqueles dias, muitos foram os alunos que tiveram a oportunidade de não só observarem os diferentes robôs, como de constatarem, por via de demonstrações muito interativas, mecanismos de funcionamento e todo o trabalho de programação associado.

Sob o chapéu da segurança na Internet

Durante os dias em que decorreu a "Semana da Internet Segura" (de 5 a 9 de fevereiro), vários foram os trabalhos engenhosos e criativos, que alunos do 3.ºCiclo, sob supervisão dos seus professores de TIC e também de ESC, realizaram para assinalar a importância daquela quadra de maior acuidade reflexiva em torno da utilização da Internet. Teia mundial onde quase tudo se pode encontrar, mas também onde os perigos se escondem, seja numa rede social, num anexo de e-mail ou até em comportamentos menos cautelosos ou irresponsáveis.
Foi pois de cautela e responsabilidade, cientes de que a partilha é bem vinda, mas sempre sob o manto da responsabilidade cívica recíproca, que alunos dos 7.º C, D, G, 9.ºG materializaram os seus receios mas também os seus alertas para o uso da internet segura.
Aconteceu na biblioteca da ESAF!
[Parabéns e agradecimento aos alunos e respetivos professores por mais esta iniciativa em prol da literacia digital e informática, a par do compromisso cívico e cidadão]

Ecos do "Dia da Internet Segura" na BESAF

Na manhã do dia 6 de fevereiro, "Dia da Internet Segura", proporcionamos, na sala de leitura da biblioteca escolar da ESAF, uma sessão de sensibilização sobre segurança online. A Polícia de Segurança Pública - Escola Segura, na pessoa de um dos seus agentes, perante uma vasta plateia de alunos, abordou e sensibilizou para a necessidade de comportamentos e ações cada vez mais responsáveis no que toca ao uso das redes sociais e de outros aplicativos do mundo online. Por via de uma comunicação objetiva e eficaz, assente em texto, imagens e vídeos ilustrativos sobre diferentes temáticas e perigos que a rede também esconde, os alunos tiveram oportunidade de ouvir falar de diferentes tipos de riscos que, com uma utilização mais cauta e responsável, se podem evitar.
Na Internet sê seguro, cria e partilha com responsabilidade, faz da rede uma Internet melhor!

Ciência na biblioteca

É sempre um gosto receber nesta biblioteca escolar o Professor Luís Cunha, do Departamento de Física da Universidade do Minho, que, a convite da professora Pilar Cameselle Mendez, nos veio falar sobre o Tempo e a Relatividade Restrita. Assim aconteceu no dia 5 de fevereiro, pela tarde, na nossa sala de leitura, entre livros, imagens do incomensurável universo, fórmulas e pensamentos, menções ao incontornável Einstein, sem esquecer Newton, outros notáveis da Física, e até (até? - isso é coisa que se diga!) Mr. Feynman, perante um bom grupo de alunos e professores.
Velocidade, tempo, distâncias incalculáveis, universo em expansão, energia, massa, electromagnetismo, referenciais vários, enfim, o fascínio da Física pelas palavras e a veia comunicativa de Luís Cunha. Sempre bem-vindo.
Em prol da literacia científica.
Obrigado, Professor.