Páginas

10 de dezembro de 2017

No 69.º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos

Hoje celebra-se o Dia Mundial dos Direitos Humanos. A 10 de Dezembro de 1948, a Assembleia Geral da Nações Unidas proclamava a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Um documento matricial de 30 artigos onde se defende a dignidade humana. Volvidas quase sete décadas, o que nos cabe ainda observar é que a dignidade humana parece ter muito pouco valor em tantas partes do planeta: guerras que se mantêm, fome que ainda grassa, sobretudo em África e zonas de conflito, crianças abandonadas sem qualquer proteção, famílias que fogem das zonas de guerra, tráfico de humanos, miséria moral e desigualdade, tratamento desigual na justiça... 
Importa pois lembrar e pugnar sempre, junto dos jovens, nas escolas, nos locais de formação, em centros cívicos, pela importância daquilo que representa cada artigo desta declaração (D.U.D.H.). 
Na passada quinta-feira (7/12), num espaço da escola, lembramos mais uma vez não apenas a data da proclamação da Declaração Universal dos Direitos Humanos (que hoje se comemora), mas o teor do seu alcance e a necessidade de por ela lutarmos. Difundir o respeito pelos direitos humanos é um desiderato educativo, mas também uma necessidade que se impõe a todos e a cada um. Conhecer os nossos direitos sem esquecer que somos também sujeitos de deveres.
Assim aconteceu na ESAF... maratona de cartas da Amnistia (que ainda decorre), música e poesia alusiva ao momento e, no final, uma largada de balões (30), tantos quantos os artigos da D.U.D.H. 

Sem comentários: